Buscar
  • Assecom Assessoria em Comunicação

WhatsApp clonado: conheça os golpes e saiba como se proteger



O WhatsApp é o aplicativo de mensagens para dispositivos móveis mais popular do mundo.Com o crescimento dessa popularidade vem o aumento da ação de cibercriminosos que buscam disseminar golpes em massa, atingindo um número cada vez maior de vítimas para ganhar grandes quantias em dinheiro. Os tipos de golpes também estão se tornando cada vez mais sofisticados, com técnicas de engenharia social para convencer as pessoas a compartilharem os códigos de segurança para autenticação em dois fatores e obter o controle das contas.

Quando cibercriminosos obtêm acesso à conta da vítima

Ao usar uma conta do WhatsApp em um novo dispositivo, os grupos relacionados ao número são automaticamente transferidos para o aparelho. As mensagens enviadas não aparecem, mas o número de telefone de outros membros fica visível, o que provavelmente indica como os cibercriminosos escolhem mais vítimas.

Números de telefone são fáceis de encontrar

A maioria das pessoas não considera como informação sigilosa os números de telefone que o WhatsApp usa, portanto esses dados podem estar disponíveis nos perfis nas mídias sociais, ser enviados por diversos serviços, obtidos para ações de marketing ou mesmo incluídos em vazamentos de banco de dados e, nesse caso, vendidos na dark web. Até mesmo tentativas aleatórias para chegar a possíveis combinações de números podem gerar bons resultados aos golpistas.

Golpes se espalham no Brasil

Temas evidentes, como covid-19, têm sido explorados. No caso do coronavírus, os cibercriminosos se passam por profissionais de um instituto de pesquisa reconhecido, fazem perguntas e, no fim, solicitam o código SMS enviado ao celular da vítima, a fim de clonar o WhatsApp.


O que fazer se sua conta for clonada?

Os usuários que suspeitam que sua conta do WhatsApp foi invadida devem:

  • acessar o WhatsApp com o número do telefone e verificá-lo, inserindo o código recebido via SMS. Isso fará o logoff de outros aparelhos e devolverá ao proprietário o controle real da conta;

  • falar com seus contatos por outros canais, informando-os sobre a suspeita e pedir que ignorem as mensagens que possam ser enviadas até que se resolva o problema;

  • parar imediatamente de interagir com a pessoa e denunciá-la às autoridades locais se perceberem que estão lidando com uma fraude.

Como se proteger?

  • Evite compartilhar seu número de telefone em plataformas públicas. Caso precise ser contatado, a recomendação é fornecer o endereço de e-mail.

  • Ative a autenticação de dois fatores nas configurações da conta do WhatsApp. Dessa forma, o invasor também precisará inserir seu PIN 2FA, além do código SMS, dificultando muito o sequestro.

  • Nunca compartilhe o código de autenticação do WhatsApp, nem mesmo com amigos e familiares. Ninguém deve solicitar um código de verificação de qualquer tipo via WhatsApp.


#dicasassecom #assecom_assessoria #tecnologia #agenciadecomunicacao #comunicação #marketingdigital #assessoria #assecom #brasil #santos #portoseguro #arraialdajuda_bahia #portoseguro #santos #sãopaulo #agênciadecomunicação

2 visualizações

Central de Atendimento ao cliente: (13) 3561-8635 ou Whatsapp (13) 99706-5730 e (13) 99711-3376

E-mail atendimento@assecom.com.br

Assecom Assessoria em Comunicação                    © Todos os direitos reservados

Baixada Santista - Litoral de São Paulo (Santos, São Vicente, Praia Grande e Guarujá) - São Paulo - Brasil

Porto Seguro (Arraial d'Ajuda, Trancoso e Caraíva) - Bahia - Brasil

  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • LinkedIn